Região

Tamandaré: Ensino híbrido, uma visão nova e atual da educação

Abril 14 / 2021

Após o início do ano letivo na rede municipal de ensino, em fevereiro de 2021, de forma presencial, em virtude da propagação do COVID-19, houve o retorno às aulas remotas.

Nesse contexto, visando instituir condições de aprendizagem em que o aluno seja ativo e também responsável pelo seu próprio aprendizado a fim de superar as dificuldades, ampliar o crescimento pessoal e a capacidade produtiva, surge a educação híbrida, que possibilita um ensino personalizado, mesclando parte presencial e outra online, com outras metodologias e um jeito novo de ensino, tendo o professor como mediador e orientador dos estudos.

Conforme a secretária de Educação, Sandra Terezinha Sebben, o ensino híbrido compreende: rotação por estações, laboratório rotacional e sala de aula invertida, demonstrando a importância do Ensino Híbrido para a aprendizagem significativa do educando e destacamos a relevância do enfrentamento das dificuldades para que possamos proporcionar uma educação de qualidade, com propostas para otimizar o desenvolvimento do aluno.

Dialogar sobre tecnologia e educação torna-se complexo se desconsiderarmos o processo de aprendizagem, pois, mesmo com todo o seu potencial e sendo um instrumento significativo para favorecer a aprendizagem dos alunos, a tecnologia, por si só, não solucionará as deficiências da educação brasileira, que necessita refletir sobre os elementos desse processo, como o papel do aluno e do professor, o uso das tecnologias digitais e até mesmo os objetivos de aprendizagem, bem como os conceitos e modos de aprender. Entretanto, isso não pode nos impedir de buscarmos novos métodos de ensino, muito menos de enfrentarmos esses novos desafios.

Nesse sentido, os professores estão participando de uma formação do Programa União Faz a Vida ?Conexões pela Educação?, dentre os temas abordados está a discussão sobre a metodologia usada no contexto atual, do remoto ao híbrido, entre outros.

Numa das webconferência, com 26 municípios e em torno de 973 participantes, o município de Tamandaré foi escolhido para dar um depoimento sobre o andamento das aulas e sobre a questão do ensino híbrido que está acontecendo. A secretária explanou que o ensino remoto se tornou um caminho a ser seguido através da plataforma Google Sala de Aula, grupos de watts app, meet e atividades impressas. Também o grande desejo da comunidade educativa é o retorno para as salas de aula de forma presencial mas as atividades remotas continuarão fazendo parte do planejamento pedagógico e do desenvolvimento das aulas. 

(Fonte: Assessoria de Imprensa de Almirante Tamandaré do Sul).





Publicado por: Ana Maria Leal E-mail: anamaria@gazeta670.com.br
Compartilhe esta notícia em suas redes sociais