Entretenimento

Literatura em Rede - Projeto tem prazo de inscrição prorrogada

Janeiro 29 / 2021

O projeto Literatura em Rede, da professora Natalia Aline Castoldi Ficagna , subsidiado com recursos da Lei nº 14.017/2020 (Lei Aldir Blanc) teve suas inscrições prorrogadas. Os interessados devem preencher o formulário de inscrição que consta no link abaixo e aguardar contato da organização do projeto para confirmar se você ficou entre os vinte selecionados. 

O projeto consiste em um tipo de Clube do Livro virtual, no qual os participantes recebem os livros em suas casas, realizam a leitura e depois debatem cada uma das obras em uma reunião virtual mediada pela advogada e apaixonada por literatura, Kássia Castoldi Ficagna.

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSf5FHjuAie5rwUsFZvybQTnK5QPitKL_HYf_dViMNVM_XmmDQ/viewform

As três obras disponibilizadas no projeto são de autores nacionais, no intuito de valorizar os imensos talentos da literatura brasileira. Elas são:

Ponciá Vicêncio , da escritora Conceição Evaristo

Conceição é uma escritora, poetisa, romancista e ensaísta. Mineira e com setenta e quatro anos, foi a primeira de uma família com nove irmãos a obter diploma universitário.  Seu primeiro romance, Ponciá Vicêncio foi foco de pesquisa acadêmica pela primeira vez, no Brasil, em 2007. A obra foi traduzida para o inglês e publicada nos Estados Unidos em 2007. Multipremiada, conceição coleciona prêmios de literatura que vão desde prêmios regionais até o Premio Jabuti, o maior prêmio da literatura brasileira.

A obra narra a trajetória de Ponciá Vicêncio, uma mulher negra, desde sua infância até a idade adulta. Ponciá mora com a mãe, Maria Vicêncio, na Vila Vicêncio, no interior do Brasil, onde vive numa população de descendentes de escravos.

Santuário, da escritora Maya Falks

Maya Falks é gaúcha da Serra, nascida no inverno de 1982 e escreve desde criança.

É graduada em Comunicação Social com Habilitação em Publicidade e Propaganda, é Bacharel em Jornalismo, Especialista em Marketing de Serviços e graduanda em Letras.

Como escritora, já conquistou mais de 20 prêmios entre contos, crônicas e poesias e é autora das obras Depois de Tudo, Versos e Outras Insanidades, Histórias de Minha Morte, Poemas para Ler no Front, Santuário e Eu também nasci sem asas.

A obra traz a história de Santuário, uma pequena cidade interiorana situada em qualquer lugar esquecido deste Brasil multifacetado. Apesar de seu nome indicar um local de paz e tranquilidade, a cidade em questão é palco para episódios bastante densos, levantando motes como pobreza extrema, violência masculina, prostituição, feminicídio e corrupção.

A cereja do bolo, e um belíssimo bolo, diga-se de passagem, vem com a participação da autora Maya Falks na reunião virtual em que discutirão o livro de sua autoria.

E pra fechar com chave de ouro, temos o livro que deu origem a uma das séries mais comentadas de 2020, Bom Dia, Verônica,  dos escritores Ilana Casoy e Raphael Montes.

Sobrinha do jornalista Boris Casoy e prima de Serginho Groismann. Formou-se em Administração e dedicou-se a estudar perfis psicológicos de criminosos, especialmente de serial killers.

Já publicou outros livros sobre crimes que ficaram famosos no Brasil, como A Prova é a Testemunha, relato inédito do Caso Nardoni, e O Quinto Mandamento – Caso de Polícia, sobre o assassinato do casal Richthofen. Colaborou com o site do canal Investigação Discovery entre 2012 e 2013. Atualmente, assina uma coluna na revista Brasileiros.

Raphael Montes é um escritor e roteirista brasileiro de literatura policial.

Estima-se que, até março de 2020, todos os seus livros juntos tenham vendido cerca de 100 mil cópias no Brasil e que a sua obra já tenha sido traduzida para 10 idiomas. Raphael, que iniciou sua vida na literatura produzindo fanfics (historias escritas por fãs) de Agatha Christie na extinta rede social Orkut hoje coleciona prêmios de literatura e juntamente com Ilana já pretendem lançar a continuação de Bom Dia, Verônica.

A trama conta a história de Verônica Torres, (interpretada na série da netflix pela atriz Tainá Müller), que trabalha como escrivã na Delegacia de Homicídios de São Paulo. Casada e mãe de dois filhos, a protagonista vê sua vida virar de cabeça para baixo quando se envolve na procura por um criminoso que usa as redes sociais para conhecer e violentar mulheres.




Publicado por: Emilio Arruda E-mail: emilio@gazeta670.com.br
Compartilhe esta notícia em suas redes sociais