Coluna Circulando e a política atual.

Há condições.

Ana Maria Leal
Outubro 21/ 2021

Há várias condições para Carazinho apresentar a área no prazo acertado com o governo do estado como alternativa ao presídio feminino de Passo Fundo.

Foi o que souberam os participantes da reunião nesta tarde de quinta-feira (21) na prefeitura que tratou do assunto.

A reunião que é semanal desta vez teve mais presenças, pois os 13 vereadores foram convidados.

Conversando com algumas das pessoas que estiveram lá me informaram que já há pelo menos duas áreas oferecidas ao município - que tem interesse de fazer a desapropriação caso se adequem à viabilidade técnica do projeto.

Porém, o município quer, em contrapartida, que algumas situações sejam atendidas pelo governo do estado, entre elas o aumento dos investimentos para Carazinho em saúde e segurança, que o presídio masculino saia do bairro Santo Antônio, e que o estado passe para o município a área às margens da BR 285 onde até hoje é para ser construída a cadeia feminina.

Essa última condicionante é para que o estado futuramente não planeje outra construção no local.

Dos presentes apenas um manifestou-se contrário à solução de Carazinho.

O vereador pedetista Bruno Berté questionou se essas condicionantes de Carazinho foram aceitas pelo governo do estado, e como entendeu que essa garantia não existe, que não se está trabalhando com algo 'palpável', não vê um bom encaminhamento do assunto.

Aliás, ele me disse que a ideia de trazer para Carazinho a cadeia feminina ''é absurda''.

Não acredita que haja tempo hábil para todas as tratativas necessárias para mudança do local do projeto, nem que as exigências de Carazinho serão aceitas pelo estado.

Por que o estado vai concordar com as condições de Carazinho se é Carazinho que quer outra área para o presídio, sendo que o estado tem uma obra sem impedimentos e prestes para começar?

Há quem diga que essas condições estão sendo impostas para facilitar o 'não' do estado.

E que na verdade só é um adiamento de algo que não será possível mudar.

Vamos aguardar. 









Compartilhe esta coluna em suas redes sociais