Coluna Circulando e a política atual.

Vacinas para a educação.

Ana Maria Leal
Maio 13/ 2021

Caso até esta sexta-feira (14) não haja uma definição do estado quanto a vacinação dos profissionais da educação, o sindicato dos servidores municipais de Carazinho pretende procurar o prefeito Milton Schmitz na segunda-feira (17) e solicitar que, assim como outros municípios, entre com mandado judicial para vacinar os trabalhadores da rede municipal de ensino.

A informação partiu do presidente do sindicato, Luis Claudiomiro de Quadros, o Chico, durante participação no Lado a Lado Com a Notícia desta quarta-feira (12).

Ele primeiro garantiu que o sindicato está acompanhando os casos positivados de coronavírus recentes na rede municipal de ensino.

''Quero tranquilizar que os servidores comprovados com Covid ou com sintomas, todos estão afastados do serviço, e tranquilizar os servidores dessas escolas que todos os protocolos de segurança, estive conferindo com a secretaria de Educação, estão sendo cumpridos. Foi feito, agendamento com a secretária de Saúde, será feito teste para toda a comunidade escolar dessas duas escolas, estamos fiscalizando, e quero dizer aos servidores que vocês são nossos olhos, nosso fiscal dentro das escolas, qualquer coisa anormal ou que não estejam cumprindo com os protocolos de segurança, tem que nos informar para que sejam tomadas as medidas cabíveis''.

A seguir, Chico informou que, assim como outros municípios, o sindicato vai pedir ao prefeito que judicialmente busque a vacinação para quem atua nas escolas municipais.

''Se o município não tomar nenhuma providência até a segunda-feira, vou conversar com o executivo para que tome essa providência, mas, de repente, até o fim de semana saia alguma decisão, a Famurs, o Tribunal de Justiça, já deram liminar a esses municípios para que vacinem desde que não prejudique os outros grupos de vacinação, de modo eu vamos encaminhar oficio ao executivo para que tome as providências que outros municípios já tomaram''.

E foi nesse sentido que ele pediu respeito a todos, pois tem sido falado em vacina apenas para os professores.

''Falar em educação é falar na comunidade escolar, se vacinar só o professor e não o servidor da educação, pouco vai adiantar, ou tomar outras providências para garantir a vacinação dos outros trabalhadores, que seja vacinada toda a comunidade escolar, diferente agora que estão vacinando contra a gripe somente os professores. E peço para autoridades, imprensa, que quando se referirem à vacinação respeitem os servidores da educação, educação não se faz só com professores, vejo pessoas pedindo vacina pro professor, mas esquece que tem secretários de escola, cozinheira, servente, zelador, motorista do transporte, é uma grande falta de respeito com essa categoria, quando se pede a vacinação, pedimos para toda a comunidade escolar''.

Segundo ele, a rede municipal envolve de 800 a 850 servidores municipais.



(Foto: Arquivo Grupo Gazeta).




Compartilhe esta coluna em suas redes sociais