Coluna Circulando e a política atual.

Trânsito.

Ana Maria Leal
Setembro 21/ 2020

Repercutiu entre os vereadores o fato de, em 2019, o Departamento Municipal de Trânsito ter encaminhado aquele ofício que divulguei na semana passada, aqui na coluna, sobre não receber mais solicitações para execução de quebra-molas em Carazinho, atendendo orientação do Conselho Municipal de Trânsito.  

Quem introduziu o assunto foi a vereadora Janete Ross de Oliveira (PSB), ao dizer que o trânsito requer tanto a obra em si quanto educação das pessoas.

Anselmo Britzke (Gauchinho) , do PDT, fez referência ao ofício que me foi repassado pelo diretor do DMT, Ivânio Lima Martins, e publicado.

Disse que os vereadores foram eleitos para, entre outros, atender o que o povo pede, e se isso significa encaminhar pedidos de quebra-molas, é o que vai fazer até o término do seu mandato, em 31 de dezembro, e fazer com que esses pedidos cheguem até a mesa do diretor.

Daniel Weber (PP), presidente da câmara no ano passado, a quem foi encaminhado o documento em questão, esclareceu que aquele ofício foi em resposta a um pedido de informações feito por ele após mais de 10 indicações pedindo quebra-molas na rua Coroados.

Não foi um comunicado a todos os vereadores, dando ciência da posição do DMT.

A rua Coroados, segundo Daniel, onde não foi feito o quebra-molas e aconteceram acidentes, até atropelamentos. ''O quebra-molas pode não ser a melhor solução, mas é a necessária, e se aqueles que não foram feitos por falta de recursos, estamos falando de mais de um ano sem recurso''. Na sua opinião quando é feito o projeto de melhoria na rua já deve estar incluído o estudo, o planejamento do redutor de velocidade.

O pedetista Alaor Tomaz disse que chegam diariamente muitos pedidos de quebra-molas, respeita o trabalho do departamento, mas ''não adianta depois que as coisas acontecerem surgir verbas, não é só através do quebra-molas, mas tem que prevenir, se pessoas estão pedindo, temos que encaminhar pois somos representantes do povo''.

Lucas Lopes (PSDB) lembrou que deve ser feito um estudo pelo engenheiro de trânsito da prefeitura quanto a colocação dos quebra-molas solicitados.

Gauchinho anunciou que fará um ofício para que o diretor de trânsito seja convocado a estar na câmara na próxima sessão, a fim de esclarecer sobre os recursos usados na execução de quebra-molas, quais foram feitos, e sanar outras dúvidas a respeito.

E finalizou: ''Quero dizer a todos os CCs que o vereador não é inimigo, eles são CCs, nós, vereadores, eles estão nos cargos por algo que fizeram na campanha, ou dentro de um partido político. Nós representamos a comunidade, e que bom que tem vereador que vai até o fim do mandato representando a comunidade''.






Compartilhe esta coluna em suas redes sociais