Coluna Circulando e a política atual.

Futuro. Presente. Passado.

Ana Maria Leal
Novembro 13/ 2019

Detalhe: O tempo verbal foi alterado apenas para a abordagem seguindo a ordem das imagens selecionadas.

Nesta semana quando o Dr.Gilberto Amaral participou do Lado a Lado falando sobre a saúde do homem encerrei a entrevista abordando um pouco de política, pois sei que ele se interessa pelo assunto.

Perguntei se haveria alguma possibilidade de filiação política e concorrer a algum cargo nas eleições do ano que vem.

Ele é irmão do pedetista de raiz Anderson Amaral, e por que não também se aventurar no ambiente político?

Respondeu que não, pelo menos, por enquanto:

''Não tenho essa veia política aguçada, no momento não me sinto à vontade, a questão da medicina me ocupa muito tempo, mas elogio quem se dispõe a isso. No momento, não, gostaria, talvez, futuramente, um pouquinho mais experiente, mas, por hora, sem condições''.

Como o Dr. Gilberto deixou aberta essa porta para ingressar na política, aproveitei para fazer um apanhado de colegas seus sobre os quais há interrogações nesse sentido.

No caso do Dr.Gerson Urnau, já está com os dois pés na política após filiação que informei aqui dias atrás ao Democratas.

Inclusive, cotado pelo partido como candidato a candidato a vice na chapa de reeleição do prefeito Milton.

Tem ainda o Dr.Felipe Piva, filho do ex-prefeito de Não-Me-Toque, também médico, Antônio Vicente Piva.

Dr.Felipe também é bastante interessado em política, mas há algum tempo, quando esteve na Gazeta e falamos a respeito, disse que não pensa em uma candidatura nesse momento.

Quem sabe no futuro, mas lembrou do quanto esse tipo de escolha pode ser desgastante para o político e sua família.

Buscando na história recente da política em Carazinho não poderia deixar de relacionar aqui dois nomes da classe médica que não só oficializaram seu ingresso em partidos políticos mas concorreram e assumiram cargos públicos.

Dr.Élbio Balcemão Esteve, do PSDB, que foi eleito vereador em 2008 e em 2012 vice-prefeito de Carazinho. Faleceu em outubro de 2015.

Antes dele Dr. Sérgio Weinmann, emedebista que também foi vereador em 2001 e depois vice-prefeito em 2004. Ao final do mandato, não se envolveu mais com politica.



Compartilhe esta coluna em suas redes sociais